The Falls: a filha que vira mãe de sua mãe em Taiwan


Alyssa Chia e Gingle Wang: mãe e filha na pandemia (foto: divulgação)


Exibido no Festival de Veneza 2021, The Falls está na Netflix e é um bom representante do cinema de Taiwan. À primeira vista, parece que o filme vai tratar da pandemia, mas isso é apenas um pano de fundo que logo desaparece de cena.


Tudo começa em março de 2020, quando o coronavírus se espalhou pelo mundo. Uma colega de escola de Xiao Jing (Gingle Wang) ficou doente e a garota precisa fazer quarentena em casa. Como ela mora com a mãe, Pin-wen (Alyssa Chia) também é afastada do trabalho. As duas, às turras, passam a conviver juntas 24 horas.


Eu digo que não é uma história sobre a pandemia porque pouco se fala do assunto. Taiwan é uma ilha colada na China, mas muitos moradores não usam máscara, o comércio está aberto e a Covid-19 jamais é citada. O objetivo do diretor Mong-Hong Chung é outro e mais amplo: mostrar como uma filha de 18 anos acaba virando a mãe de sua mãe.


Pin-wen está há três anos divorciada do marido, que casou com outra e teve um filho. Ela ainda não se conforma com a partida do marido e, certa noite, tem um surto psicótico e vai parar no hospital.


Talvez o isolamento tenha agravado a situação. Qual seria a causa da repentina mudança de humor de Pin-wen: burnout, depressão, síndrome do pânico, esquizofrenia, psicose?


O trabalho das duas protagonistas é estupendo e o que era discórdia vira amor. O carinho e a dedicação de Xiao Jing são notáveis e é impossível ficar indiferente à aproximação tão delicada das duas. A melosa música instrumental de piano me incomodou. The Falls é um filme que não precisa de trilha sonora, já que o entendimento se dá só pela troca de olhares.




353 visualizações

Posts recentes

Ver tudo