O Ano da Fúria: o Uruguai sob a repressão militar em 1972


O elenco de O Ano da Fúria: violência e torturas


Acho muito bom quando países, que foram tomados por uma ditadura militar entre os anos 60 e 80, deixem registrado o fato no cinema. É o que ocorre em O Ano da Fúria, que está na HBO Max.


A situação se passa um ano antes do golpe militar no Uruguai, em 1973. Diego (Alberto Ammann) e Leonardo (Joaquín Furriel) são roteiristas de um programa de TV. Gostam de usar o humor para satirizar a situação política - até que chegam as "ordens" para que conteúdo mude de rumo.


A história também traz uma relação polêmica. Torturador de militantes de esquerda, o tenente Rojas (Daniel Grao), que é casado, acaba se envolvendo com a prostituta Susana (Martina Gusman). O Exército, porém, não vê com bons olhos o caso extraconjugal, já que os militares de extrema-direita prezam pelo conservadorismo.


Talvez por não ter se inspirado num livro ou numa história real, o roteirista e diretor espanhol Rafa Russo apresenta muitos personagens, porém sem dar estofo necessário às suas trajetórias. Há cenas de tortura e um violento assassinato para marcar um período sombrio e repressivo no Uruguai. Mas acho pouco. Faltou colocar mais o dedo na ferida.



INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter



151 visualizações

Posts recentes

Ver tudo