Antidisturbios: registro da tropa de choque de Madri


Os policiais são chamados para expulsar moradores de um apartamento: confusão e morte


Descobri o talento do diretor espanhol Rodrigo Sorogoyen no filme Madre (que tem para alugar no NOW) e logo fui atrás de outros trabalhos dele. Achei na HBO Max a minissérie Antidisturbios, de 2020. E, novamente, fiquei impressionado com a segurança e o frescor da realização. São apenas seis episódios que dão conta de fazer um registro potente da polícia e do sistema judiciário de Madri.


Seis policiais da tropa de choque (antidisturbios do título) são convocados para expulsar os moradores de um apartamento em um edifício caindo aos pedaços. A situações é extremamente tensa e o saldo é uma morte, aparentemente acidental.


Na corregedoria, a persistente investigadora Laia (Vicky Luengo) pega o caso para analisar. Os truculentos policiais tiveram participação na morte? A partir daí, o roteiro amplia o foco para mostrar a rotina doméstica deles. Há desde o cinquentão casado que, calado, sofre de depressão até o jovem que se esbalda nas baladas, embora seja comprometido. A trama, aos poucos, ganha ares de mistério numa investigação que vai chegar à corrupção entre bambambãs da Justiça.


Além de criador, Sorogoyen dirige a maioria dos episódios, sempre com fome de inovar e jogar o espectador num turbilhão de emoções. Muitas vezes, assim como em Madre, o cineasta usa planos-sequência de tirar o fôlego.



INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter



333 visualizações

Posts recentes

Ver tudo