Aluga-se um Paraíso: o que é viajar com luxo ou exotismo


O trio de apresentadores no Ninho de Quetzalcoatl: explorações pelo mundo (foto: divulgação)


Saudades de viajar, né, minha filha? Eu estou. Faz, exatamente, um ano e nove meses que eu não tiro os pés de São Paulo. Agora completamente vacinado, penso em fazer uma viagem curta por aqui. Mas o que eu gosto mesmo é de pegar um avião e explorar novos lugares no mundo e, talvez por isso, Aluga-se um Paraíso, reality show da Netflix, me agradou em cheio.


É uma série em oito episódios, com cerca de meia hora cada. Três especialistas nas áreas de mercado imobiliário de luxo, design e viagem rodam o mundo em busca de lugares diferenciados para alugar. Pode ser desde um quarto numa árvore em Bali ou uma ilha nas Bahamas. Alguns capítulos são divididos por temas, como "casas flutuantes" ou "hospedagem gourmet".


Eu viajei virtualmente. Embora o trio de apresentadores não seja carismático, a série leva a conhecer locais que você jamais imaginou que pudessem ser alugados. A ilha das Bahamas foi o que mais me arrebatou e, não à toa, tem o aluguel mais caro: cerca de 15 mil dólares, a diária. O iate no Caribe, por 10 mil dólares, também é um arraso.


Mas nem só de luxo vive a série, que mostra hospedagens mais econômicas, como uma van (sim, um veículo) nos Estados Unidos, um farol no Alasca ou um iglu (!) na Finlândia. Entre os mais fascinantes está o Ninho de Quetzalcoatl, construção em formato de cobra do arquiteto Javier Senosiain, no México. Adoraria ter a oportunidade de viver as mesmas experiências que Megan, Jo e Luis. Bora viajar?



INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter

164 visualizações

Posts recentes

Ver tudo