Tre Piani: conflitos dramáticos de gente como a gente


O diretor e ator Nanni Moretti: três andares, três famílias e três anos (foto divulgação)


Um dos dramas mais contundentes que eu já assisti é O Quarto do Filho, dirigido por Nanni Moretti, em 2001. Pouco mais de vinte anos depois, o cineasta italiano se debruça, novamente, sobre problemas familiares, a partir de uma morte, em Tre Piani, disponível para aluguel no NOW.


O título pode ser traduzido como três andares, os pisos de um edifício de Roma, onde moram três famílias que serão interligadas por uma tragédia. Um jovem atropela e mata uma mulher, na hora em que a grávida Monica (Alba Rohrwacher) esperava um táxi para ir à maternidade.


O rapaz estava bêbado e seu pai (Moretti), um juiz, quer que ele pague pelo crime. A mãe (Margherita Buy) fica dividida entre o filho e o marido. Há ainda a delicada situação vivida por uma criança que, aos cuidados de um idoso com demência senil, pode ter sido molestada por ele. Furioso, o pai da menina (Riccardo Scamarcio) quer justiça.


Vingança, culpas, perdas, danos e perdões. Nanni Moretti despeja vários conflitos em seu roteiro que, espertamente, tem sua história dividida em três atos - quinze anos se passam na vida dos personagens.


Sem julgamentos morais e aberto a leituras variadas, o filme traz à tona dilemas de pessoas comuns, gente como a gente, tratadas sem estereótipos ou clichês. Gostei muito!



INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter



815 visualizações

Posts recentes

Ver tudo