Partida: a polarização do Brasil dentro de um ônibus


Caco Ciocler: o diretor faz a viagem de São Paulo até o Uruguai num ônibus (foto: divulgação)


A polarização que notamos no Brasil não é de hoje. Vem desde que Jair Bolsonaro se tornou candidato à presidência na intenção de derrotar o petismo. Essa mesma polarização já começou a redobrar o fôlego das torcidas do presidente e de seu maior adversário, Lula, nas próximas eleições. Mais atual do que nunca, Partida, um híbrido de ficção e documentário dirigido por Caco Ciocler e agora disponível no Amazon Prime Video, flagrou, como poucos, um momento de desilusão que tomou conta de grande parte dos brasileiros em 2018.


O filme começa com a desesperança da atriz Georgette Fadel diante da vitória de Bolsonaro. Desiludida com os rumos que o Brasil poderia tomar (e tomou!), ela decide se candidatar às eleições para presidente em 2022. Seria realidade ou ficção? Pouco importa. Caco Ciocler, então, reúne um grupo de amigos para atender um desejo de Georgette. Numa viagem de ônibus de São Paulo até o Uruguai, eles vão tentar um encontro com Pepe Mujica, líder de esquerda que governou o país vizinho por cinco anos.


Num caminho longo e tortuoso, as discussões acaloradas de petistas versus bolsonaristas, dentro de um veículo em constante movimento, são inflamáveis.


Há sequências que foram encenadas e outras que ganharam o improviso na base de diálogos genuínos. E é isso que faz de Partida um documento tão fascinante: a linha tênue entre o que é verdade e o que é fantasia.


Além disso, o Brasil polarizado, metaforicamente registrado dentro do ônibus, parte rumo ao inesperado. Felizmente, o desfecho, alegremente emocionante, traz certo ânimo para o futuro.



INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter

91 visualizações

Posts recentes

Ver tudo