É grátis: Festival de Cinema Italiano exibe 34 filmes on-line


O Grande Silêncio: desfecho arrepiante


Achei excelente a proposta da 16ª edição do Festival de Cinema Italiano. De sexta (5) até 12 novembro, haverá sessões presenciais no Petra Belas Artes. E de sexta (5) até 5 de dezembro, a programação completa estará disponível on-line no site Festival Cinema Italiano (clique aqui), organizado pela Câmera de Comércio Ítalo Brasileira de São Paulo, em colaboração, pelo primeiro ano, com a Embaixada Italiana no Brasil.


São 10 filmes inéditos no cinema e 34 longas-metragens (inéditos e clássicos) pela internet. E o melhor: é tudo GRÁTIS!


Eu já vi dois longas-metragens que eu gostei. O Grande Silêncio, dirigido por Alessandro Gassmann, é inspirado numa peça, mas o realizador não faz “teatro filmado”. Em fotografia de coloração sépia e figurinos de tonalidades sóbrias, mostra um escritor bem-sucedido, que é obrigado a vender sua casa por estar numa ruína financeira. Isso vai causar uma série de imbróglios com a esposa, o filho e a filha. Tem diálogos longos, jamais cansativos, e um desfecho de arrepiar.


Gostei ainda mais da comédia dramática Os Nossos Fantasmas, que vi na abertura do festival com a presença do diretor Alessandro Capitani. A história é sobre um pai que, desempregado e sem dinheiro, mora com o filho, às escondidas, num apartamento de Turim. Quando um novo morador aparece, eles se vestem de fantasmas para espantar os inquilinos de lá. É um filme terno, divertido e muito gracioso.


Para quem gosta de ver atores famosos, o festival traz atrações estreladas por Stefano Accorsi, Valeria Golino, Pierfrancesco Favino, Toni Servillo, Silvio Orlando e Margherita Buy. A seção de clássicos está espetacular. Com o título As Mais Belas Trilhas Sonoras do Cinema Italiano, é uma retrospectiva com filmes musicados por mestres como Ennio Morricone, Nino Rota e Nicola Piovani em trabalhos dos diretores Federico Fellini (Os Palhaços), Sergio Leone (Era uma vez na América), Dario Argento (O Pássaro das Plumas de Cristal), Lina Wertmüller (Mimi, O Metalúrgico e Amor e Anarquia) e Damiano Damiani (Advertência)...


O filho e o pai de Os Nossos Fantasmas: assustando os moradores de um apartamento


Confira a programação no Petra Belas Artes:


Sexta (5 de novembro)

15h45 - Com Meu Coração, de Vincenzo Salemm

20h30 – Lovely Boy, de Francesco Lettieri


Sábado (6 de novembro)

15h45 – Blackout Love, de Francesca Marino

20h30 - Uma Relação, de Stefano Sardo


Domingo (7 de novembro)

15h45 - As Coisas que Restam, de Giorgio Verdelli

20h30 - Os Nossos Fantasmas, de Alessandro Capitani


Segunda (8 de novembro)

15h45 – Welcome Veneza, de Andrea Segre

20h30 - Deixe-me Ir, de Stefano Mordini


Terça (9 de novembro)

15h45 - Os Nossos Fantasmas


Quinta (11 de novembro)

15h45 - Uma Relação

20h30 - A Terra dos Filhos, de Claudio Cupellini


Sexta (12 de novembro)

15h45 – Welcome Veneza

20h30 - Tempero do Chef, de Francesco Falaschi


Os filmes que você pode ver on-line, grátis, no site do festival (clique aqui)


Clicando no título, você encontra a sinopse e o trailer.


Mostra Contemporânea

Uma Relação: um dos 13 filmes inéditos no Brasil


Deixe-me Ir

A Terra dos Filhos

Blackout Love

Com Todo Meu Coração

Uma Relação

Welcome Veneza

Lovely Boy

As Coisas que Restam

Os Nossos Fantasmas

Tempero do Chef

Como um Gato na Marginal – Retorno a Coccia di Morto, de Riccardo Milani

Todos Por 1 – 1 Por Todos, de Giovanni Veronesi

Ela Ainda Fala Comigo, de Pupi Avati

O Grande Silêncio, de Alessandro Gassmann

Ar Parado, de Leonardo Di Costanzo

Governança, de Michael Zampino

Morrison Café, de Federico Zampaglione


Os filme da retrospectiva As Mais Belas Trilhas Sonoras do Cinema Italiano

Era uma Vez na América: obra-prima de Leone


O Médico e o Charlatão, de Mario Monicelli (1957)

O Pássaro com Plumas de Cristal, de Dario Argento (1970)

Os Palhaços, de Federico Fellini (1970)

O Anônimo Veneziano, de Enrico Maria Salerno (1970)

Adeus, Irmão Cruel, de Giuseppe Patroni Griffi (1971)

Mimi, o Metalúrgico, de Lina Wertmüller (1972)

O Atentado, de Yves Boisset (1972)

Amor e Anarquia, de Lina Wertmüller (1973)

Histórias do Submundo, de Carlo Lizzani (1975)

O Prefeito de Ferro, de Pasquale Squitieri (1977)

Advertência, de Damiano Damiani (1980)

Era Uma Vez na América, de Sergio Leone (1984)

Tomara que Seja Mulher, de Mario Monicelli (1986)

Rei de Nápoles, de Luigi Magni (1989)

Respiro, de Emanuele Crialese (2002)

Histórias de Amor Que Não Pertencem a Este Mundo, de Francesca Comencini (2017)

Viva a Liberdade, de Roberto Andó (2013)


INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter


930 visualizações

Posts recentes

Ver tudo