Documentário Os Quatro Paralamas é um fiasco


Foto: divulgação


Tenho duas ou três bandas favoritas da década de 80: Legião Urbana, Barão Vermelho/Cazuza e Titãs. Mas sempre gostei dos Paralamas e seus hits como Lanterna dos Afogados, Meu Erro e Saber Amar. É pena que Os Quatro Paralamas, disponível na Netflix, não faça jus à importância do trio composto por Herbert, Bi e Barone.


O quarto "paralama" do título é José Fortes, empresário da banda desde o início da carreira do grupo. E é de Fortes a maioria das imagens. Ele flagrou os Paralamas em bastidores, shows, entrevistas. Mas quase nada do que ele "revela" se mostra interessante. Só quem é muuuuito fã pode gostar de ver a comemoração do sucesso de um espetáculo no camarim, por exemplo.


Além das imagens de arquivo de Fortes, o filme traz um encontro atual dos quatro. São bate-papos igualmente desinteressantes - há até uma inserção dramática ao relembrar o tráfico acidente de Herbert, em 2001, em que morreu sua mulher, Lucy. Mas nem isso traz alguma emoção,


Videoclipes, alguns deles integrais, são inseridos na montagem para dar mais conteúdo a algo sem estofo. Se é para ver videoclipe, eu posso ir no YouTube, certo? Não há ordem cronológica nem detalhes de quando as imagens foram gravadas. Ou seja: Os Quatro Paralamas é um fiasco, seja como uma homenagem à banda, seja com um registro histórico.


Avaliação:


INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter




14 visualizações

Posts recentes

Ver tudo