À Procura do Amor: a amizade está acima das paixões?


Emily Beecham e Lily James: amizade duradoura


Se você gosta dos romances de Jane Austen (Orgulho e Preconceito) e Louisa May Alcott (Mulherzinhas), posso apostar que vai curtir À Procura do Amor (The Pursuit of Love), minissérie que está na HBO Max e é inspirada no livro da britânica Nancy Mitford (1904-1973). Trata-se de uma história sobre mulheres, escrita em 1945, e dirigida por uma mulher (Emily Mortimer).


A história começa em Londres, em 1941, durante a II Guerra Mundial. Mas não demora para a ação voltar no tempo e retornar a 1927, quando as primas e amigas Linda e Fanny (Lily James e Emily Beecham) tinham 17 anos.


Inseparáveis e de temperamentos distintos, elas vivem à procura de um amor. Linda é espevitada, inconsequente, aventureira e vem de uma família nobre e unida. Fanny é romântica, sonhadora, intelectual, foi abandonada pela mãe e criada por uma tia. Os opostos, porém, se atraem e, ao longo de quase quinze anos, Linda e Fanny viverão momentos de uniões e separações.


Emily Mortimer tem 40 anos e é a atriz inglesa de filmes como O Retorno de Mary Poppins e A Livraria. À Procura do Amor marca sua boa estreia na direção - e ela ainda interpreta sincerona "a fujona", a mãe de Fanny. Em três episódios, a realizadora empenha-se em contar uma história não só de amores, mas também da bela amizade entre duas amigas, presas às convenções do papel da mulher em décadas passadas.


A linguagem moderninha e um bocado de humor (sobretudo nos episódios 1 e 2) comandam o registro das desventuras das protagonistas. Para marcar a contemporaneidade da trama, há uma trilha sonora pop com New Order, The Who e Marianne Faithful. Uma delícia de se ver e ouvir!



INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter

962 visualizações

Posts recentes

Ver tudo