top of page

13 grandes filmes do cinema iraniano


Yalda: um programa de TV para decidir um destino


Tem muita gente que rotula o cinema iraniano como "chato". Discordo. Tem filmes que, sim, têm uma narrativa lenta e contemplativa, mas são bastante autorais e artísticos. Outros, porém, são mais acessíveis, como os trabalhos do grande Asghar Farhadi (tem dois dele na lista). Fiz a seleção abaixo. Espero que goste.


A Separação > O diretor iraniano Asghar Farhadi traz uma trama que é um redemoinho de emoções, conflitos e reviravoltas. É sobre um casal que está em vias de se separar, mas o marido não dá o divórcio à esposa. Ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro. Onde assistir: Reserva Imovison.


O Apartamento > Mais um instigante trabalho do diretor Asghar Farhadi, que levou o Oscar em 2017. Emad e Rana mudam para um novo apartamento e, ao abrir a porta para um estranho, ela é brutalmente espancada. O marido, que não estava em casa, quer encontrar o agressor. Mas Rana não quer prestar queixa à polícia. Por quê? Onde assistir: Belas Artes à la Carte.



Filho-Mãe: qual será o futuro do garoto?


Filho-Mãe > É impressionante o trabalho do garoto Mahan Nasiri. Ele é o filho de uma viúva e toma conta da irmã mais nova. Quando a mãe recebe a proposta de um casamento, o futuro do menino se torna incerto. Onde assistir: Globoplay para assinantes do Telecine.


Isto Não É um Filme > Profunda crítica ao governo do Irã é o que você vai encontrar nesse registro caseiro e simples, feito no apartamento de Jafar Panahi, em Teerã, durante a prisão domiciliar do cineasta, em 2011. Grande artista, o realizador decide, mesmo impedido de filmar, fazer um “não filme”. Vemos, então, cenas de seu cotidiano, como tomando café da manhã, conversando com a advogada ou alimentando sua iguana de estimação. Onde assistir: Reserva Imovision.


Taxi Teerã > Mais um trabalho simples, porém inquietante, de Jafar Panahi. Como o cineasta é impedido de filmar em seu país, decide se passar por um motorista de táxi e, assim, colecionar histórias. Onde assistir: Reserva Imovision.



The Night: madrugada tensa dentro de um hotel


The Night > Embora seja filmado em Los Angeles, o suspense de terror é de um diretor iraniano e é falado em persa. Na trama, um casal está voltando para casa de madrugada. O marido bebeu além da conta e se perde na cidade. O jeito, então, é se hospedar num hotel. Eles pensam que terão uma noite tranquila. Só que não! Onde assistir: HBO Max.


Yalda - Uma Noite de Perdão > No dia do Yalda, comemoração que ocorre no Irã no dia mais longo do ano, um programa de TV vai decidir o futuro de uma jovem de 22 anos. Maryam matou o marido e foi condenada à morte. Ela pode, porém, receber o perdão da filha da vítima e, assim, ir para a cadeia e continuar viva. Onde assistir: Globoplay para assinantes do Telecine.


Onde Fica a Casa do Meu Amigo > Abbas Kiarostami foi um dos mais importantes cineastas iranianos e fez o premiado Gosto de Cereja. Infelizmente, há poucas obras suas disponíveis no streaming. Nesta trama, um menino pega o caderno, por engano, de um colega e precisa devolvê-lo o quanto antes. Tem a delicada singeleza que marcou a filmografia do cineasta. Onde assistir: MUBI.


Através das Oliveiras > Mais um notável trabalho de Kiarostami. Uma cidade recebe uma equipe que está realizando um filme. O foco está entre os dois protagonistas, que parecem enamorados. Onde assistir: Globoplay para assinantes do Telecine.



Gabbeh > a história de um tapete ganha vida


Gabbeh > Mohsen Makhmalbaf é outro nome que despontou do cinema iraniano para o mundo. Há magia na história de um casal que limpa o gabbeh, um tapete persa, que traz desenhos em sua estampa. É quando surge uma jovem que passa a narrar a história das imagens do tapete, da qual ela faz parte. Onde assistir: Reserva Imovision.


A Maçã > Samira Makhmalbaf é filha do cineasta Mohsen Makhmalbaf e enfoca a história de duas irmãs que, trancadas em casa por seus pais durante doze anos, têm de lidar com o mundo exterior após serem libertadas. Onde assistir: Reserva Imovision e MUBI.


À Sombra do Medo > O terror como metáfora da guerra foi o jeito que o diretor escolheu para mostrar os conflitos entre Irã e o Iraque, em 1988. Na trama, mãe e filha passam por provações enquanto bombardeios se alastram pela cidade. Onde assistir: Netflix.


Nahid – Amor e Liberdade > A digitadora Nahid se divorcia do marido e, para ter a guarda do filho, promete que jamais se casará novamente. Mas ela conhece um atencioso viúvo, que trabalha como gerente de hotel e quer tê-la como esposa. O que fazer? Onde assistir: Belas Artes à la Carte.




2.138 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page