Donbass: invasão da Ucrânia em drama e humor surreais


Donbass: passageiros de um ônibus são revistados


Sergey Loznitsa, nascido em 1964 na União Soviética, em território que hoje é a Bielorrússia, tem uma extensa carreira, focada sobretudo no documentário. Mas eu só conheci o diretor em Donbass, filme de ficção de 2018, disponível no streaming Reserva Imovision, que você pode assinar também pelo Amazon Prime Video.


Eu exibi Donbass na sessão que faço, toda segunda, no Reserva Cultural. Um amigo saiu da sala, outros acharam pesado, mas a maioria gostou. Loznitsa faz um trabalho de câmera estupendo, com vários planos-sequência (num único take) para registrar momentos de 2014 e 2015, quando a Rússia invadiu a região de Donbass, no leste da Ucrânia.


Há vários esquetes, que pouco se conectam e às vezes são barulhentos, para mostrar a situação caótica na Ucrânia, tomada por tanques de guerra e pelo corrupção maciça. Há algumas passagens dramáticas, como os ucranianos escondidos num bunker, e outros levados na base do humor mordaz. Impossível ficar indiferente a situações que beiram o surrealismo, como um casamento que ocorre durante a guerra, numa republiqueta que se autodenomina "a nova Rússia".


Loznitsa diz ter se inspirado em histórias verídicas para criar suas ficções. Contudo, com sua câmera na mão e atores tão naturais, a impressão que fica é a de um documentário do caos.



INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter



168 visualizações

Posts recentes

Ver tudo