Os Salafrários diverte sem muito esforço


Foto: divulgação


A química entre Marcus Majella e Samantha Schmütz, que atuam no seriado Vai que Cola, se repete na comédia Os Salafrários, na Netflix.


Majella interpreta Clóvis, um falsificador de quadros valiosos que vai entrar numa enrascada após vender uma tela para um senador. Perseguido pela polícia (por negociar o Cristo Redentor!), Clóvis tromba, literalmente, com Lohane (Samantha), sua irmã de criação que teve seu trailer de sanduíches confiscado por não ter alvará de funcionamento. Ela quer dinheiro para reconquistar o trabalho. Ele precisa fugir do Rio de Janeiro para escapar da prisão. Na Região dos Lagos, a dupla, sem grana, passa a sobreviver de trambiques. Como se nota, não é um argumento muito original, mas há motivos para dar uma chance à comédia brasileira.


Majella, por exemplo, tem um timing de humor invejável e sua inspiração não é outra que não o eterno amigão Paulo Gustavo. A edição consegue dar um ritmo ágil à trama e nem se nota o tempo passar. Já é de praxe: é preciso haver o (dispensável) momento de redenção, que chega num clímax dramático e tira a graça de cena. Felizmente, os créditos finais são acompanhados com hilariantes com erros de gravação. Dá para voltar a sorrir!


Avaliação:


INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter

43 visualizações

Posts recentes

Ver tudo