O Rebanho: curioso, estranho e fascinante


Foto: divulgação:


A polonesa Malgorzata Szumowska dirigiu, em 2015, o interessante Body, que tinha uma abordagem do espiritismo em seu país de maioria católica. Ela volta à religiosidade, mas com um acento de fanatismo, em O Rebanho, disponível nas plataformas de aluguel. Eu vi no NOW.


O ator Michiel Huisman interpreta o Pastor, que mora numa floresta acompanhando de suas esposas (sim, no plural) e com as filhas que teve com elas. Ele é o único homem do lugar e as doutrina com sermões bíblicos e as tem sob suas rédeas. Às mulheres, cabem as tarefas domésticas. À noite, uma das esposas é escolhida para ter relações sexuais com ele.


Todas o obedecem cegamente. A exceção é Selah (Raffey Cassidy), uma adolescente cuja morte da mãe é incerta. A garota tem um olhar de desconfiança e se sente incomodada quando o "pastor" tenta se aproximar de um jeito que vai além do paterno.


Além da crítica à submissão feminina nascida em um ambiente machista, O Rebanho se encaminha para um confronto que dá voz a mulheres reprimidas, representadas por uma nova geração de garotas dispostas a enfrentar o patriarcado.


Avaliação:


INSCREVA-SE aqui para receber a Newsletter




30 visualizações

Posts recentes

Ver tudo